Hallatar – No Stars Upon The Bridge

hallatar_coverCom o fim não anunciado do projeto Trees of Eternity, por razões do falecimento da Aleah e tendo seu álbum póstumo lançado no ano passado, o incansável Juha Raivio (Swallow the Sun) dá continuidade em sua saga depressiva com este novo projeto chamado Hallatar.
Neste projeto embacaram com ele nessa viagem pelas profundezas da miséria, o versátil vocalista do Amorphis Tomi Joutsen e o baterista fundador do HIM (isso mesmo) Gas Lipstick.
O que temos aqui musicalmente falando é um álbum de Doom Metal, recheado de atmosfera, peso e tristeza, com passagens pelo Funeral Doom (coisa que Juha já havia experimentado no mais recente álbum do Swallow the Sun).
As letras do álbum são poemas que Aleah havia escrito tempos antes de seu passamento e foram reunidos por seu companheiro Juha e formaram o contexto lírico deste material.
As passagens com vozes femininas foram executadas pela bela Heike Langhans (Draconian) e apenas na última faixa que temos os vocais de Aleah.
Voltemos ao álbum, ele já abre com “Mirrors”, faixa esta que já te joga de cara no chão e vagarosamente vem passando com um rolo compressor por cima de você.
A seguinte é uma passagem chamada de “The Raven’s Song” e que serve de prelúdio para “Melt”. Esta faixa aqui, meu amigo, fica os meus parabéns pelo excelente trabalho do vocalista Tomi. O cara consegue ser sutil, brutal e melancólico em uma faixa apenas. Se este material fosse lançado como um EP e contivesse apenas esta faixa, já seria um belo investimento financeiro.
“My Mistake” vem em seguida e nela em sua maioria contém os vocais de Heike, intercalando com os de Tomi, mas nem de longe parece com as bandas de Gothic Doom que assolaram o mundo no final dos anos 90. É uma faixa densa, arrastada e com um ar bem melancólico.
Em seguida temos “Pieces” e “Severed Eyes”. Enquanto a primeira é um poema musicado, servindo de interlúdio, a Cerveró Eyes, digo “Severed Eyes” é uma faixa acústica e nela mostra mais uma vez a versatilidade de Tomi Joutsen.
Toda a beleza das duas faixas anteriores logo é esquecida após os primeiros acordes desta “The Maze”. Puta que pariu, que música desgraçada. Não há como ficar imune a densidade dela, esta é aquelas músicas que te deixa de mau humor e a medida que ela vai avançando, o estado de melancolia vai aumentando.
“Spiral Gate” é mais um interlúdio e temos a derradeira canção “Dreams Burn Down” e esta é a única faixa que contém os vocais de Aleah e apesar dos vocais pesados do Tomi, as intervenções de Aleah dão uma certa leveza, uma forma de libertação do corpo físico.
Espero que num futuro tenhamos o prazer de ter mais álbuns deles e que Juha mantenha-se inspirado à continuar a escrever belas canções.

Hallatar – No Stars Upon The Bridge (Svart Records)
1. Mirrors
2. Raven’s Song
3. Melt
4. My Mistake (with Heike Langhans)
5. Pieces
6. Severed Eyes
7. The Maze
8. Spiral Gate
9. Dreams Burn Down (with Aleah Starbridge)

depress5

Contact:
Bandcamp
Facebook
Svart

Resenha por: Rodrigo Bueno

Anúncios

Trees of Eternity – Hour of Nightingale

trees-of-eternity-coverFinalmente foi lançado “Hour of the Nightingale”, o tão esperado full-length do Trees of Eternity. Um disco que desperta alegria e tristeza simultaneamente, alegria por se tratar de uma obra-prima, um dos melhores do ano, diga-se de passagem e tristeza, por que trata-se de um tributo a bela e jovem vocalista Aleah, falecida em abril desse ano.
Musicalmente o play conta com todas as 4 músicas do primeiro registro do grupo, a demo “Black Ocean”, que aqui passaram por um processo de remasterização e ficaram até melhor por assim dizer e outras 6 inéditas, dividas em uma hora e alguns minutos de audição.
A princípio contando apenas com o instrumentista Juva Raivio (Swallow The Sun) e Aleah Liane Stanbridge nos vocais, esse lançamento teve participação de alguns músicos ilustres do cenário Doom Metal mundial. Fredrik Norrman e Mattias Norrman respectivamente guitarrista e baixista (October Tide), Kai Hahto baterista (Wintersun), Mick Moss (Antimatter) vocais na faixa “Condemned To Silence” e Nick Holmes (Paradise Lost) vocais na derradeira “Gallows Bird”.
Quem já ouviu o grupo antes, não tem do que reclamar desse play, o que temos aqui são 10 hits, totalmente atmosféricos, trazendo o melhor do gênero com bastante peso e lentidão, aliadas aos belos vocais de Aleah.
Destaque para a faixa de abertura “My Requiem”, “Broken Mirror” (primeira faixa disponibilizada para audição) e “Gallows Bird”.
“Hour of Nightingale”, cumpre bem o seu papel de homenagear a Aleah, que jamais será esquecida, devido aos sentimentos transmitidos por sua bela voz. Só nos resta o lamento de saber que nunca mais ouviremos algo novo dela, pelo menos fica o legado de um dos melhores discos do ano.

Trees of Eternity – Hour of Nightingale (Svart Records)
1. My Requiem
2. Eye Of Night
3. Condemned To Silence (feat. Mick Moss)
4. A Million Tears
5. Hour Of The Nightingale
6. The Passage
7. Broken Mirror
8. Black Ocean
09. Sinking Ships
10. Gallows Bird (feat. Nick Holmes)

depress5

Contatos:
Facebook
Svart Records

Resenha por: Luan Monteiro

Swallow the Sun – Songs from the North I, II & III

635790940617727036(2)Desde que foi anunciado que o Swallow the Sun estava preparando um álbum novo, algumas perguntas pairavam no ar. Seriam eles capazes de fazer um álbum tão bom quanto o seu anterior?
Aí quando foi revelado que seria um álbum triplo, este escriba logo indagou-se: O que será que iremos ouvir neste disco? Terial alguma sonoridade diferente, talvez floydiana ou apenas uma depressão sem fim?
Passada a primeira audição, podemos separar os 3 discos como álbuns individuais e serem digeridos de acordo com o seu humor. Nada os impede de ouvi-los todos de forma aleatória ou em sequência. Mas o primeiro disco é como se fosse a continuação do seu álbum anterior, ou podemos escrever assim, temos o que de melhor esses finlandeses sabem fazer: Melodic Doom/Death Metal.
Assim que o primeiro lyric video foi lançado, a música “Heartstrings Shattering” acabou por nos trazer tranquilidade e nos certificar que a sonoridade deles continuava intacta. Deste primeiro disco podemos
destacar também “10 Silver Bullets”, “Rooms and Shadows”, “Lost & Catatonic” e seu refrão grudento e para finalizar a primeira hora “From Happiness to Dust”.
A surpresa veio ao ouvir o segundo disco, pois não era algo que eu esperava, poder curtir as belas melodias de uma forma mais intimista, ao som de violão aliados a sua atmosfera musical.
Após a primeira faixa, instrumental chamada de “The Womb of Winter” e sendo logo pego por “The Heart of a Cold White Land”. Tá certo que o que ouvimos aqui não é nenhuma novidade, visto que o Katatonia já havia feito isso em seu “Dethroned and Uncrowned”, mas ao contrario dos suecos, estas faixas contidas neste disco são todas inéditas.
A ideia/sentimento é o mesmo, músicas melodiosas com uma carga emocional muito intensa e seu clima melancólico/deprê toma conta até seu último acorde.
Os vocais de Mikko Kotamäki estão melhores a cada disco e aqui ele dá uma aula de interpretação, assim como o inspiradíssimo guitarrista Juha Raivio e suas belas composições.
Destaques para este segundo ato: “Pray for the Winds to Come”, “Songs from the North”, “Before the Summer Dies”.
O terceiro disco é outra obra-prima, por assim dizer, pois nos apresenta uma nova faceta desta banda finlandesa e assim como muitos de seus conterrâneos, parecem ter em seu DNA os genes do Funeral Doom.
Neste álbum a atmosfera é muito mais densa, pesada e moribunda e isto podemos sentir logo na faixa de abertura “The Gathering of Black Moths”. O clima sorumbático tem sequência em “7 Hours Later” e “Empires of Loneliness”.
“Abandoned by the Light” já era uma música conhecida visto que foi a terceira faixa a ganhar um lyric video e para encerrar este opus magnum “The Clouds Prepare for Battle”.
Após 3 anos de espera desde o seu último trabalho, não me surpreenderei se tivermos que esperar pelo menos uns 5 anos até o seu próximo lançamento. Até lá temos esta obra indefectível do doom metal para devorarmos.

Swallow the Sun – Songs from the North I, II & III (Century Media)
I

1. With You Came the Whole of the World’s Tears
2. 10 Silver Bullets
3. Rooms and Shadows
4. Heartstrings Shattering
5. Silhouettes
6. The Memory of Light
7. Lost & Catatonic
8. From Happiness to Dust

II

1. The Womb of Winter
2. The Heart of a Cold White Land
3. Away
4. Pray for the Winds to Come
5. Songs from the North
6. 66°50´N,28°40´E
7. Autumn Fire
8. Before the Summer Dies

III

1. The Gathering of Black Moths
2. 7 Hours Late
3. Empires of Loneliness
4. Abandoned by the Light
5. The Clouds Prepare for Battle

depress5

Contatos:
Facebook
Website
Century Media

Resenha por: Rodrigo Bueno