FuneralCast #06

FuneralCast #06 – Tracklist
1. (EchO) – Beneath this Lake
2. Saturndust – Gravitation of A Hollow Body
3. Chalice of Suffering – Void
4. Light of the Morning Star – An Empty Hearse
5. October Tide – Nursed by the Cold
6. High Priest of Saturn – Ages Move the Earth
7. Contempty – Woe is Me
8. Spirit Adrift – Specter of Ruin

Trilha sonora: Pantáculo Místico
Álbum: Velado por Entidades

Ouça, curta e compartilhe
Listen, like & share.

Anúncios

When Nothing Remains – In Memorian

SP. 114-16.jpgAno passado eu rasguei elogios ao grupo, Within The Fall, que, aliás, também é sueco e figurou fácil nas minhas listas de melhor do ano por inúmeras razões. Este ano pelo o que parece o preferido da vez será este grupo que foi formado em  2010 e lança seu terceiro trabalho de estúdio e aí sou obrigado a quebrar o protocolo aqui e dizer: QUE PUTA ALBUM!

Pois bem, achando eu que a atmosfera emocionalmente desmotivadora e melancólica do Within The Fall não poderia ser melhorada, por trazer um casamento muito agradável das linhas de guitarra melódicas e as sinfonias, eis que, When Nothing Remains aparece elevando estas características a patamares ainda mais altos. Emocionalmente arrematador o álbum carrega uma série de adjetivos que não posso deixar de citar, mas apesar de parecer o objetivo do nosso gusto musical são poucas bandas que realmente nos fazem sentir: angústia, tristeza, arrependimento, amargor, rancor, etc… Não meu caro, não quer dizer que você irá obrigatoriamente sentir, mas é o que transparece através do som emitido pelo grupo , pelas sinfonias e principalmente quando Jan Sallander canta de maneira limpa, pois seu vocal é carregado de feeling e são com frequência o climax de cada faixa.

Instrumentalmente o grupo alterna entre o Death e o Symphonic/Gothic sempre aliados claramente ao Doom, tornando o som do grupo muito coeso e “sem buracos”. Entre as faixas á serem exaltadas temos: “Reunited in The Grave”, “In Memorian” (belos vocais) e “Eternal Slumber” que traz um belo trabalho de teclados antecedendo ao refrão matador sendo possivelmente a melhor faixa do trabalho.

Observando a arte do álbum percebemos que ela possui relação com as capas dos dois trabalhos anteriores (The Dark Serenity lançado em 2013 e As All Torn Asunder de 2012) então possivelmente há alguma história ou um conceito por de trás das músicas também, então me perdoe leitor por não ter mais nenhuma informação sobre isso, mas por falta de tempo e de informação não posso afirmar isso com certeza, entretanto as capas são de excelente bom gosto assim como o som. Álbum que será facilmente um dos melhores do ano e sugiro também que o leitor procure os álbuns anteriores que também são de excelente qualidade.

When Nothing Remains – In Memorian (Solitude-Prod.)
1. Reunited In The Grave
2. Drowning In Sorrows
3. In Memoriam
4. Ghost Story
5. The Soil In My Hand
6. A Lake Of Frozen Tears
7. Eternal Slumber
8. While She Sleeps
9. The Spirits In The Woods

depress5

Contatos:
Facebook
Solitude-Prod.

Resenha por: Guilherme Rocha

Enshine – Singularity

RWE011Tendo seu bem aclamado debut lançado em 2013, eis que este duo franco/sueco retornam com mais um ótimo full-lenght.

Tudo o que pudemos conferir no álbum anterior, encontramos aqui, ou seja muito Melodic Doom Metal.

As linhas de guitarra soam mais melodiosas e as atmosferas criadas pelos teclados são de fazer qualquer ser pensante se tornar uma pessoa mais introspectiva. Isto podemos sentir logo de cara na faixa de abertura “Dual Existence”.

“Adrift” é a faixa que vem em seguida começa com uns efeitos que me trouxe o Anathema na cabeça, por manter um clima viajante/deprê. Os vocais limpos dão uma ênfase maior nessa melancolia, enquanto os guturais fazem o belo serviço no restante da faixa.

A faixa seguinte, “Resurgence” deixa de lado o Melodic Doom e nos traz uma pegada mais modernosa, não é ruim, mas eu achei muito genérico. Para nossa sorte, a medida em que a faixa vai avançando, temos uma variação para uma levada mais tristonha, com um forte apelo as melodias do teclado.

“In Our Mind” para mim é uma das melhores músicas do disco, pois possui uma dose extra de melancolia, principalmente na hora em que os vocais limpos aparecem, e seu clima (nesta parte em específico) flerta com o shoegaze para tão logo descambar para o lado melódico e seus vocais guturais competentíssimo. Não há como não destacar o excelente solo de guitarra.

É chegada a hora de um pequeno interlúdio, marcando a metade do disco e intitulado como “Astarium Pt. II”. A primeira parte pode ser encontrada no debut album e soa bem interessante vocês ouvirem as duas em sequência.

“Echoes Master” é a responsável por abrir o segundo ato, e aqui mantém todo seu approach do Melodic Doom que lhe é característico e tendo sua extensão na faixa seguinte intitulada “Dreamtide”.

“The Final Trance” e “Apex” são responsáveis de finalizar de uma maneira bem pra baixo, mas no bom sentido. Enquanto a primeira mantém a mesma pegada do álbum, a última é responsável por dar aquele toque introspectivo e deixar aquele gosto de quero mais.

Enshine – Singularity (Rain Without End/Naturmacht Productions)
1. Dual Existence
2. Adrift
3. Resurgence
4. In Our Mind
5. Astrarium Pt. II
6. Echoes
7. Dreamtide
8. The Final Trance
9. Apex

depress4

Contatos:
Bandcamp
Facebook
Rain Without End

Resenha por: Rodrigo Bueno

Swallow the Sun – Songs from the North I, II & III

635790940617727036(2)Desde que foi anunciado que o Swallow the Sun estava preparando um álbum novo, algumas perguntas pairavam no ar. Seriam eles capazes de fazer um álbum tão bom quanto o seu anterior?
Aí quando foi revelado que seria um álbum triplo, este escriba logo indagou-se: O que será que iremos ouvir neste disco? Terial alguma sonoridade diferente, talvez floydiana ou apenas uma depressão sem fim?
Passada a primeira audição, podemos separar os 3 discos como álbuns individuais e serem digeridos de acordo com o seu humor. Nada os impede de ouvi-los todos de forma aleatória ou em sequência. Mas o primeiro disco é como se fosse a continuação do seu álbum anterior, ou podemos escrever assim, temos o que de melhor esses finlandeses sabem fazer: Melodic Doom/Death Metal.
Assim que o primeiro lyric video foi lançado, a música “Heartstrings Shattering” acabou por nos trazer tranquilidade e nos certificar que a sonoridade deles continuava intacta. Deste primeiro disco podemos
destacar também “10 Silver Bullets”, “Rooms and Shadows”, “Lost & Catatonic” e seu refrão grudento e para finalizar a primeira hora “From Happiness to Dust”.
A surpresa veio ao ouvir o segundo disco, pois não era algo que eu esperava, poder curtir as belas melodias de uma forma mais intimista, ao som de violão aliados a sua atmosfera musical.
Após a primeira faixa, instrumental chamada de “The Womb of Winter” e sendo logo pego por “The Heart of a Cold White Land”. Tá certo que o que ouvimos aqui não é nenhuma novidade, visto que o Katatonia já havia feito isso em seu “Dethroned and Uncrowned”, mas ao contrario dos suecos, estas faixas contidas neste disco são todas inéditas.
A ideia/sentimento é o mesmo, músicas melodiosas com uma carga emocional muito intensa e seu clima melancólico/deprê toma conta até seu último acorde.
Os vocais de Mikko Kotamäki estão melhores a cada disco e aqui ele dá uma aula de interpretação, assim como o inspiradíssimo guitarrista Juha Raivio e suas belas composições.
Destaques para este segundo ato: “Pray for the Winds to Come”, “Songs from the North”, “Before the Summer Dies”.
O terceiro disco é outra obra-prima, por assim dizer, pois nos apresenta uma nova faceta desta banda finlandesa e assim como muitos de seus conterrâneos, parecem ter em seu DNA os genes do Funeral Doom.
Neste álbum a atmosfera é muito mais densa, pesada e moribunda e isto podemos sentir logo na faixa de abertura “The Gathering of Black Moths”. O clima sorumbático tem sequência em “7 Hours Later” e “Empires of Loneliness”.
“Abandoned by the Light” já era uma música conhecida visto que foi a terceira faixa a ganhar um lyric video e para encerrar este opus magnum “The Clouds Prepare for Battle”.
Após 3 anos de espera desde o seu último trabalho, não me surpreenderei se tivermos que esperar pelo menos uns 5 anos até o seu próximo lançamento. Até lá temos esta obra indefectível do doom metal para devorarmos.

Swallow the Sun – Songs from the North I, II & III (Century Media)
I

1. With You Came the Whole of the World’s Tears
2. 10 Silver Bullets
3. Rooms and Shadows
4. Heartstrings Shattering
5. Silhouettes
6. The Memory of Light
7. Lost & Catatonic
8. From Happiness to Dust

II

1. The Womb of Winter
2. The Heart of a Cold White Land
3. Away
4. Pray for the Winds to Come
5. Songs from the North
6. 66°50´N,28°40´E
7. Autumn Fire
8. Before the Summer Dies

III

1. The Gathering of Black Moths
2. 7 Hours Late
3. Empires of Loneliness
4. Abandoned by the Light
5. The Clouds Prepare for Battle

depress5

Contatos:
Facebook
Website
Century Media

Resenha por: Rodrigo Bueno

Enshine libera preview de novo álbum

Os franceses do Enshine liberaram o primeiro teaser de seu novo álbum intitulado Singularity e que será lançådo oficialmente dia 18.10.2015 em Jewelcase e DigiPak.
Abaixo segue a capa e o tracklist:
RWE011
1. Dual Existence
2. Adrift
3. Resurgence
4. In Our Mind
5. Astarium Pt. II
6. Echoes
7. Dreamtide
8. The Final Trance
9. Apex
Total playtime: 53:27
O preview pode ser conferido aqui:
https://www.youtube.com/watch?v=hnvWn09OSD8