Doom of the Week: Red Fang

redfang-blurry-kitchen-photo-by-Whitey_McConnaughy2

Existia uma época em que fazer clipes de metal se resumiam aquela mesma ladainha de sempre: Uma breguiçe de filmar bandas com pose de metaleiro tr00, com um roteiro tosco, que na maioria das se resumiam entre temas épicos, ou temas sombrios, com uma profundidade artística tão funda quanto uma piscina de criança.

Eu particularmente tenho birra com clipes de metal, pois quase todos não saem desse clichê barato e não consigo enxergar o porque de bandas ainda se arriscarem nessa mesmisse que não traz nada positivo. Tanto é que por um bom tempo deixei de lado os clipes de metal pelos motivos já explicados acima.

Mas vez ou outra, uma banda consegue se destacar por sair um pouco dessa tangente. E nem sempre precisa ser tão inovador. Sendo algo simples, até mesmo despretensioso, pode soar como uma boa experiência e até mesmo divertida.

E foi particularmente dessa forma que conheci o Red Fang. Em uma das minhas horas de procrastinação na internet (meu trabalho favorito!), me vi lendo um texto mencionando o clipe do Red Fang como sendo “um clipe de metal que é realmente divertido”. Foi o bastante para eu me interessar na banda e ir atrás do tão comentado clipe, o de “Wires”, na época.

Saca só o roteiro: Os caras ganham um cachê da gravadora (5 mil doletas) para fazer o clipe deles. Então eles compram um bocado de bala, salgadinhos e chocolates, um tipo de Belina americana em um concessionária de carros usados, dão umas modificada trash nela, galões de leite e outros montes de porcarias, pra fazer o que?? DESTRUIR TUDO COM O CARRO! E tudo isso regado a mil e uma latas de cerveja que os caras compram!

Porra, melhor que qualquer outro roteiro de clipe piegas de metal e todo aquele épico fake que deixaria o Tolkien com facepalm lá de Valhalla olhando os monstros que ele criou. A propósito, essa temática também foi zoada pelos caras em outro clipe da banda, o de “Prehistoric Dog”

Mas bem, além dos clipes a banda atrai pela sua imagem bem dispersa, longe de qualquer pagação de pose de machão que existe em praticamente quase todas as bandas de metal de caras que estão mais preocupados em saber qual bar está aberto em plena madrugada para poder passar a noite bebendo do que qualquer outra coisa na vida (me identifico).

E o som? Um stoner metal que não deve a ninguem em termo de qualidade e que lembra bem o som de ótimas bandas do estilo como Orange Goblin, Truckfighters, Clutch, mas com um apelo Pop que torna o som da banda super divertido e agradável de se escutar. Perfeito para os momentos de churrascão com a galera regada a Skol gelada e farofa com vinagrete. Ou para qualquer momento que envolva cerveja no meio…

red_fang_band-pic

O Red Fang até o momento lançou 3 álbuns: O auto-intitulado, em 2009, lançado pela Sargent House. O Murder The Mountains, de 2011, até então o álbum de maior sucesso da banda e que alavancou os caras para o cenário major do Metal, e o Whales and Leeches, lançado ano passado, ambos lançados pela gravadora Relapse Records, responsável por outros grandes nomes do estilo como Baroness, Agoraphobic Nosebleed, Pig Destroyer, Cough (que inclusive fiz uma matéria sobre a banda também nesse site, dá uma lida lá depois que vale a pena!), entre outras coisas maravilhosas abençoadas por Baphomet.

Se minha indicação vale, o meu álbum preferido continua sendo o Murder The Mountains, pois é o que mais sintetiza o som da banda e a atitude dos caras. Foi top 2011 pra mim fácil e marcou bastante quando conheci o som dos caras.

O Red Fang veio ao Brasil em 2012 para dois shows, um em Brasília no festival Porão do Rock, e outro em São Paulo, no Inferno Club, e, segundo informações de amigos que foram ao show, os caras fizeram jus ao nome da casa de shows e fizeram um show do caralho!! Eu tive a oportunidade de ver os caras ao vivo na Alemanha em uma pequena cidade chamada Osnabrück, só que perdi o horário do trem e tive que ficar em casa afogando as mágoas em cerveja por ter perdido o show deles. Faz parte da minha vida, né…

Pra fechar, deixo aqui o som dos caras ao vivo no KEXP, tocando material do álbum mais recente deles e com outros clipes da banda que envolvem eles se mostrando com suas técnicas de bebeção de manguaça. Peritos!!

 

Matéria escrita por Allan Daniel, baixista da banda Lacryma Sanguine.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s