Jex Thoth – Blood Moon Rise

jexthoth-ihrcd107_smJá são incontáveis as vezes que sento na frente do computador para resenhar esse disco e sempre tem algo que me tira a atenção e perco o fio da meada.

Faz uns dias que ando pensando e ouvindo esse álbum e sinto que agora é a hora.

Para quem não sabe, esse é o novo trabalho dessa cantora estadunidense conhecida como Jex Thoth. Para quem ainda não se ligou, ela cantava na antiga banda Totem, que durou de 2005 a 2007, tornando a banda solo homônima.

Aqui dando continuidade ao Psychedelic Rock/Doom Metal, e eu achei mais aprimorado e empolgante que seu trabalho anterior.

Desde que soube da existência da banda, tive um pé atrás, pois depois daquela avalanche de bandas pseudo-doom com vocais femininos que soavam todas iguais, meio que deu uma saturada já. E levando em conta esse pensamento, fiquei encantado já com os primeiros acordes da intro “To Bury”, e depois cair de joelhos de vez ao escutar o rock and roll empolgante de “The Places you Walk”.

“The Divide” é a próxima e ao escutar demasiadamente, o seu início acaba cansando um pouco, nada que desmereça faixa. As estrofes cantadas por Jex, soam como se fosse uma convocação para a batalha a seguir. Ao avançar da faixa, algo me fez lembrar do grandioso The Gathering da época da Anekke.

Seguindo em frente, temos a calma e psicodélica “Into a Sleep”. Sua levada lenta e viajante, nos trás a mente aquelas bandas de cabaré que muito bem foi representada no filme Twin Peaks, dando um clima hipnótico para ela. Não há como destacar um músico de sua banda nela, pois todos fazem suas respectivas partes se tornarem marcantes.

“And the River Ran Dry” é um pequeno interlúdio que serve de introdução para a também viajante “Keep you Weeds”. Os vocais de Jex vão envolvendo o ouvinte até chegar na hora do refrão e podemos sentir um pingo de melancolia nos versos ecoados pela sua voz.

Seguindo nesse clima melancólico temos a seguinte “Ehjä”. Essa faixa é muito envolvente, deixando-a como um dos destaque positivos do cd. Destaque para a bateria marcada de Nick Ray Johnson, e para o excelente solo de guitarra.

Se encaminhando para o final do play, temos “The Four of Us are Dying” que apesar de seus pouco mais de 3 minutos, o andamento dela chega a dar inveja a muitos funeral doom existentes por aí, e para encerrar temos “Psyar”. Essa faixa além de ser a mais longa do play, tem um início com uma pegada folk e ao longo vai tendo uma levada bluesy , temos a participação de Lori Goldston do Earth nas linhas de cello.

Esse álbum acabou de ser lançado e mal posso esperar pelo álbum seguinte dessa banda.

 

Jex Thoth – Blood Moon Rise (I Hate)

1. To Bury

2. The Places You Walk

3. The Divide

4. Into a Sleep

5. And the River Ran Dry  instrumental

6. Keep Your Weeds

7. Ehjä

8. The Four of Us Are Dying

9. Psyar

 

depress5

 

 

 

Contatos:

Facebook

Website

I Hate

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s