Download grátis da Agony Voices

centerimgA banda blumenauense de death/doom metal Agony Voices, disponibiliza para streaming e free download o debut “The Sin” através de seu canal no bandcamp.
http://agonyvoices.bandcamp.com/

 

A banda aproveita para lançar seu novo website e anunciar que já estão em pré-produção de seu novo álbum que se chamará Mankind’s Glory e deve ter seu lançamento para o ano que vem.

 

Quem quiser curtir a página da banda no facebook, para ficar por dentro das atualizações à respeito de shows e afins.

Anúncios

Anathema envia mensagem aos fãs sul-americanos

A lendária banda inglesa Anathema enviou mensagem aos fãs para prestigiarem os shows que farão pela América do Sul. O grupo faz única e tão aguardada apresentação no Brasil, no próximo dia 13 de outubro, no Carioca Club, em São Paulo. Ainda há ingressos à venda. Mais informações abaixo.

 

Anathema envia mensagem aos fãs sul-americanos

 

 

Banda desembarca no Brasil para tão aguardada performance

Mesmo atualmente estremecendo os Estados Unidos, o Anathema já está se preparando para retornar ao Brasil após bons anos de espera. Considerado um dos grupos mais respeitados no cenário do doom metal mundial, os ingleses fazem única apresentação no país, no próximo dia 13 de outubro, no Carioca Club, em São Paulo.

Por meio de uma rápida e descontraída mensagem, a banda convidou os fãs sul-americanos para prestigiarem as apresentações que realizarão pelo Continente. Confira o video aqui:

 

Os ingressos seguem à venda pelo site da Ticket Brasil (https://ticketbrasil.com.br/show/anathema-sp), na tradicional Galeria do Rock (lojas Lady Snake e Mutilation) e em Santo André (Metal CDs). Os preços variam de R$ 70,00 (1° lote pista estudante/promocional) à R$ 150,00 (2° lota estudantes e promocionais). Mais informações no serviço abaixo.

 

Neste momento, Vincent Cavanagh (guitarra/vocal), Daniel Cavanagh (guitarra/vocal/teclado), Jamie Cavanagh (baixo), Lee Douglas (vocal) e John Douglas (bateria) seguem divulgando o aclamado e bem-sucedido álbum “Weather Systems”, lançado no ano passado, via The End Records. Porém, o Anathema recentemente lançou o filme e disco duplo ao vivo “Universal”, gravado na estreia triunfante desta turnê, no antigo teatro romano de Philippopolis com a Orquestra Filarmonica de Plovdiv. Este show impecável foi documentado pelo renomado Lasse Hoile (Dream Theater, Opeth, Steven Wilson, Porcupine Tree).

 

As datas da turnê do Anathema pela América Latina são as seguintes:
Oct 07 – Circo Volador – Cidade do México, México
Oct 10 – Teatro Capoulican – Santiago, Chile
Oct 12 – Teatro Flores – Buenos Aires, Argentina
Oct 13 – Carioca Club – São Paulo, Brasil

 

Links relacionados:
https://www.facebook.com/sob.controle
https://www.facebook.com/weareanathema
https://www.facebook.com/UltimateMusicPR

In Absenthia disponibiliza audio do EP

1236810_517606761650448_659981443_n

 

A In Absenthia é uma banda de Gothic/Doom metal de Rio Grande/RS que está divulgando seu primeiro EP, intitulado “Amongst the Lovers. Esperamos que gostem, pois, apesar das imensas dificuldades que o doom metal enfrenta no nosso país, queremos sempre seguir em frente fazendo o que gostamos e ajudando de algum modo a enriquecer o underground brasileiro.

Para quem quiser dar uma conferida no que está por vir, segue abaixo o link com o audio via You Tube, juntamente com a capa oficial (imagem ao lado). Fiquem atentos à nossa página.
Curtam, compartilhem, ajudem a espalhar a notícia!

https://www.facebook.com/pages/In-Absenthia/1402644659962684

 

Stay doomed!

 

Windhand – Soma

somaEis aqui um dos álbuns mais aguardados deste ano! Uma banda que começou quieta, na sua, mas ao parir a sua 1ª demo; Windhand (Practice Space Demo) demonstrou todo o seu poder…

“Soma” é o 2º Full-lenght da banda norte-americana Windhand; com o seu Stoner/Doom Metal direto e pesadíssimo, eles afirmam de vez a sua potencialidade nessa cena crescente e repleta de bandas talentosas. Sem mais delongas, vamos ao que interessa. ‘Orchard’ marca o inicio desta longa viajem, essa música já havia sido disponibilizada pela banda antes por se tratar de um single, o que fez as expectativas aumentarem ainda mais, com o seu jeito único de fazer boa música, essa faixa é matadora, te preparando para a seguinte. ‘Woodbine’ (outra faixa que havia sido disponibilizada no bancamp da banda) com o doce vocal da grande Dorthia Cottrell, com o diferencial de nesta faixa, o vocal ser dobrado, como se fosse um eco de sua própria voz, com um solo dissonante e psicodélico e pouco mais de 9 minutos de um peso sem igual…

‘Feral Bones’ é a 3ª faixa, um ritmo quebrado, tanto pelas cordas que ficaram gravíssimas nesta, pelo vocal que teve que se encaixar nesta árdua tarefa, mas, com sucesso e a bateria sempre imponente de Ryan Wolfe, com um solo rápido, como se separasse a música ao meio, nessas alturas você já se encontra totalmente submerso na atmosfera cinzenta dos caras!

Evergreen’ surge para acalmar os nervos já espancados pelo brilho das 3 primeiras, tocada a violão, soa como um folk, e mais uma vez o vocal duplicado de D.C. te leva a uma viajem de 7 minutos, esta musica é algo inédito para a banda. Depois dessa ‘terapia’ tudo desmorona com ‘Cassock’, uma semelhança com os Mestres Electric Wizard vem à mente em questão de segundos, riffs malditos e tenebrosos dos Asechiah Bogdan e Garrett Morris, e uma vez mais D.C. destrói tudo com a sua voz, um solo mais longo que te entorpece com tamanha facilidade, outra marca registrada da banda. A música se acelera e a sua espinha se congela, sua pele arrepia, o frio te domina, você fecha os olhos, balança sua cabeça, segue o ritmo, seus olhos lacrimejam… Tudo volta a ficar lento, nesse momento você já está totalmente fora de si, totalmente entorpecido, a música fica mais lenta, tenebrosa, te envolve em suas garras, D.C. desfere uma espécie de balbucio entre as levadas sinistras, seu corpo inteiro se enrijece. Com quase 14 minutos essa faixa te prepara para o desfecho, após você já estar totalmente entregue, aguenta firme, porque o que ainda está por vir é a ‘Boleskin’ com 30 minutos e meio, ela se inicia com uma intro no violão e de fundo o típico zumbido do vento, você leva um susto com a ‘entrada’ poderosa, a sofridão aliada a lentidão te trazem de volta. Martelada é palavra, tudo entra em consenso, cada riff é um uníssono, seu cérebro pulsa, seu sangue está fora de controle… É feito uma pausa, o som melancólico do violão, volta, tudo desmorona novamente, tudo vai se arrastando novamente, uma prolongação do fim, do fim com total maestria. São 75 minutos muito bem utilizados, simplesmente um marco na História de um estilo de poucos apreciadores, porém, fiéis.

 

Windhand – Soma (Relapse Records)

1. Orchard
2. Woodbine
3. Feral Bones
4. Evergreen
5. Cassock
6. Boleskine

 

depress5

 

Contatos:
https://www.facebook.com/WindhandVA
http://windhandva.bandcamp.com/

 

Resenha por GZ – DOOM, BE DOOMED OR FUCK OFF.

Wheel – Icarus

whelUm dos melhores lançamentos deste ano é o “Icarus” da banda alemã Wheel, seu segundo play está mais lapidado e épico do que o primeiro “Wheel” de 2010.
Seguindo uma linha menos direta do que “Wheel”, “Icarus” faz uso de uma linguagem distinta, passando por levadas mais ‘paradas’, lembrando até algo de Doom/Goth como é o caso da 1ª música ‘Oblivion (There Is No Alternative)’, já a 2ª ‘They Do for Us’ traz uma levada 70’s, a 3ª ‘Icarus’ se aprofunda numa atmosfera totalmente épica com vocais muito bem posicionados, momento que vem à mente Solitude Aeternus, aliás, em todo momento SA é lembrado.
Em seguida vem ‘Eclipse’, logo Candlemass vem à mente, com vocais sussurrados e um solo muito bem trabalhado, a próxima ‘A Daughter’s Song’, em certo momento me fez lembrar dos Stillborn (época do ‘Necrospirituals’), principalmente pela ‘tentativa’ de vocal gutural.
A penúltima ‘Misinterpretation of Kadar’ se inicia com uma intro em adoração à Alá, em seguida o golpe é desferido com uma pegada Pentagram, a última ‘Frozen Sun’ se faz por inteira em câmera lenta, contemplativa, com teclados ‘elevados’ típicos dessas passagens.
Enfim, um ótimo trabalho dos; Marcus Grabowski (Bass), Cazy (Drums), Benjamin Homberger (Guitars) e Arkadius Kurek (Vocals).

 

Wheel – Icarus (Eyes Like Snow)

1. Oblivion (There is no Alternative)
2. They do for us
3. Icarus
4. Eclipse
5. A Daughter’s Song
6. Misinterpretation of Kadar
7. Frozen Sun

 

depress4

Contatos:
http://wheeldoom.bandcamp.com/
https://www.facebook.com/Wheeldoom?fref=ts

 

Resenha por GZ – DOOM, BE DOOMED OR FUCK OFF.