Entrevista: Loss

Ao começar esse prefácio, estive lembrando desde a primeira vez que ouvi essa banda, lá pelos idos de 2004. E para mim essa entrevista teve um gosto especial, foi uma satisfação pessoal poder questionar sobre a banda e projetos paralelos, ideias futuras e conhecer um pouco mais o submundo do Loss.

 

Mikelossmay201. Despond, o album foi lançado há mais de um ano. Como tem sido o feedback?

M. Meacham – O feedback tem sido muito positivo. Parece que a banda ganhou muito reconhecimento desde o lançamento do álbum e a Profound Lore fez um trabalho fantástico nos ajudando a crescer.

 

2. A música “Cut up, Depressed and Alone” tem uma letra bem depressiva e é impossível não se imaginar nela. De onde veio a ideia para escrevê-la?

M. Meacham –  Essa música foi diretamente influenciada pelas minhas lutas constantes contra a depressão severa, a ansiedade, a automutilação e a autodepreciação. A letra é bem direta e eu vivi cada segundo dela. Sem esperança. Cortar sua pele apenas pra ver se você consegue sentir algo através da apatia. Desistir.

 

3. Eu lembro de conhecer a Loss por volta de 2004, através do mIRC (#doom-mp3). Qual a sua relação com a internet e downloads grátis?

M. Meacham –  Eu acho que todo mundo tem uma relação com a internet nos dias de hoje. Eu uso todos os dias para trabalhar, networking e comunicação. Downloads grátis sempre vão acontecer, mas eu acho que os verdadeiros amantes da música vão sempre procurar ou comprar/apoiar artistas que realmente se esforçam para criar trabalhos com convicção, que não soem artificiais.

m_Loss052011_0164. A capa do album é mais “dark” que chocante comparada a da demo. Quem sugeriu o conceito desta arte ou o artista teve liberdade para criar?

M. Meacham – Nós surgimos com vários conceitos para várias partes e Richard Friend, este artista fantástico que trabalhou com a gente, meio que desenhou suas próprias ideias a partir das músicas e nossos conceitos, mas para a capa em particular… nosso baixista, John Anderson, veio com a ideia de um corpo sem vida, sem sexo ou expressão num cenário funéreo… é bastante belo, eu acho.

 

5. No ano passado, foi lançado um “split-live” via Scion Audio Visual com algumas faixas ao vivo de bandas como Pallbearer, YOB, Atlhas Moth, além de vocês. Vocês já pensaram em lançar um DVD com algumas apresentações ou é algo fora de cogitação?

M. Meacham – Talvez no futuro, mas nada para o momento.

 

m_Loss052011_0356. Há previsão de um novo álbum do Loss?

M. Meacham – Estamos nos estágios iniciais de escrever nosso segundo álbum no momento que estou te respondendo. Nós também estamos completando as faixas para dois split’s diferentes. Um com Graves At Sea e outro com Hooded Menace.

 

7. No debut, haviam duas faixas demo e a música gravada com o Worship. Para o próximo álbum, vocês têm a intenção de dar uma nova roupagem a alguma música que já apareceu em outro disco?

M. Meacham – Não. O próximo álbum do Loss vai ser feito 100% com material novo.

8001095772_c3ddff6300_o8. Para algumas pessoas, a morte é o final de tudo; para outras, é o começo. Qual a sua relação com a morte?

M. Meacham – A morte é perfeita… instantânea e para sempre. A morte é o cenário perfeito para a meditação final.

 

9. Você tem um projeto tão devastador quanto a sua banda. Qual é a situação atual do Mourner?

M. Meacham –  Infelizmente, o Mourner acabou… eu realmente gostei de tocar naquela banda e todos nós continuamos bons amigos. Todos os membros tem calendários que não são compatíveis uns com os outros e alguns membros tem compromissos pessoais demais. Estou orgulhoso do que gravamos, etc. Outra sessão para compor/gravar nunca está fora de cogitação… eu tenho alguns outros projetos musicais rolando… Recluse (com Phillip Cobalt), Hollow Serpent Tooth (com o Jake do Mourner) e o Rituaal (também com o Jake e com o Justin da Father Befouled Encoffination). A Rituaal tem um 7” que vai ser lançado a qualquer momento pela Parasitic Records.

 

10. Recentemente foi lançada uma página no Bandcamp com duas músicas para um novo projeto que você participa junto com J. Stubbs (Encoffination) e J. Rothlisberger (Mourner). Como surgiu a ideia para este projeto?

M. Meacham – Nós queríamos criar algo vil e extremamente black e bizarro. O resultado final é a Rituaal. Nós nos conhecemos e trabalhamos em diversos estilos por muito tempo e decidimos fazer a Rituaal juntos. O plano é sempre escrever e gravar material suficiente para um 7” durante o período de três dias ou menos. Completamente terminado e gravado num curto período de tempo, demorando mais só com os conceitos e letras/conteúdo. Estou muito orgulhoso desta facada estranha de Black Metal que nós criamos. Planejamos fazer nossa segunda sessão muito em breve.

 

39528_166806283329651_6386032_n11. Os temas das letras da Rituaal são bem diferentes dos assuntos das outras bandas. Fale-nos mais sobre eles.

M. Meacham – A Rituaal é baseada no satanismo antigo/tradicional/medieval, em práticas ocultas e bruxaria. Eu trabalhei muito nas minhas letras, assim como o Justin. Nos dois escrevemos umas música musicalmente e depois a letra, para encaixar. Os temas deste primeiro 7” são baseados em antigas práticas de bruxaria e rituais sabáticos… projeções astrais através da meditação e o consumo de venenos naturais com o objetivo de se tornar mais próximo do diabo.

 

 

12. Você gravou os vocais para uma faixa de um CD que será lançado pela banda Aphonic Threnody. O que você pode nos dizer sobre essa música?

M. Meacham – Sim, é algo no qual me pediram pra participar e a música é forte, então eu concordei… eu não conheço muito sobre a banda ou seus integrantes, apenas sei que são muito dedicados…. vamos ver como ela vai se sair.

 

13. Obrigado pela entrevista. Alguma consideração final?

M. Meacham – O Loss está ocupado escrevendo seu próximo funeral opus, que mais uma vez será lançado pela Profound Lore. O trabalho com a Hooded Menace será lançado pela Doomentia e o com a Graves At Sea pela Gilead Media. Fiquem atentos… para novidades, etc. e para comprar música e merchandise, por favor visitem www.LossDoom.com . Contatem-nos pelo lossdoom@gmail.com ou mande qualquer ameaça de morte, calcinhas sujas, lâminas enferrujadas, drogas ou correspondência para:

 

Loss

P.O. Box 681924

Franklin, TN 37068

USA

 

Obrigado pela entrevista e saudações, Rodrigo… nós saudamos orgulhosamente a América do Sul e o Brasil, em particular… a terra do Metal of Death… Hail, Sarcófago!

 

Photos by: Diana Lee Zadlo, Ray+Wendy

Trad.: Marcelo Bauducco

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s