Victims of Creation – Symmetry Of Our Plagued Existence

PromoImageDesde os primeiros ensaios dessa banda oriunda da ilha de Malta, até os dias de hoje já se vão pelo menos 20 anos.

E este álbum Symmetry Of Our Plagued Existence lançado nesse ano pelo se alemão Cyclone Empire é o debut deles.

Dando uma olhada rápida na biografia deles, a banda nesse tempo passou por algumas baixas em sua formação, mas o baixista/vocalista Rex e o batera Dino Misfud Lepre mantiveram-se firmes e fortes em seus postos.

Pela banda ter sido formada no auge do Death Metal e consequentemente seus sub-estilos, há uma pegada old-school na sonoridade dessa banda.

Momentos que lembrem os primeiros trabalhos do Paradise Lost ou mesmo My Dying Bride pode ser algo recorrente, mas não é algo copiado.

“Chapter XXIII” abre o disco e vem despejando toda uma aura negra e depressiva já em seus primeiros acordes. Andamento lento, guitarras ultra-pesadas, vocais guturais fazem desse um dos melhores lançamentos de 2013. Há passagens bem interessantes, principalmente quando o vocalista Rex canta de forma limpa dando um arte um pouco mais triste para essa composição.

“Tree of Inquitity” vem seguindo a mesma linha, com guitarras ou pouco mais melodiosas.

Não sei como explicar do porque, mas em diversas passagens dessa música me trouxe a lembrança a faixa God of Empitness do indefectível Morbid Angel. Para mim poderia encerrar aqui o disco que por mim já teria nota máxima. Mas não contentes, ainda há mais 3 músicas para completar o cd.

“The Art of Despair” vem despejando toda sua melancolia através dos falantes. Mas quando a música chega próxima da metade e aquelas vocalizações ao longe, ecoando para dentro da cabeça são de uma forma tão envolvente que o depressivo deverá estar longe de objetos cortantes para que nada de muito grave aconteça com sua saúde.

“The Glorious Deceit” começa de forma tranqüila e logo uns vocais limpos começam e por vezes perguntamos se é a mesma banda que ouvimos anteriormente. Indo numa linha mais melódica e com bastante melancolia em sua voz, Rex nos proporciona um dos momentos altos do disco.

“Those Left Behind” vem para encerrar o álbum e mostrar para o ouvinte, ou o que restou dele, que esses 20 anos de espera pelo debut valeram muito a pena.

Infelizmente o guitarrista Daniel Bartolo deixou a banda recentemente para se dedicar aos seus outros projetos.

Espero que a banda encontre um substituto e não nos deixe mais 20 anos para escutar o seu segundo trabalho.

 

 

Victims of Creation – Symmetry Of Our Plagued Existence (Cyclone Empire)

1. Chapter XXIII

2. Tree Of Iniquity

3. The Art Of Despair

4. The Glorious Deceit

5. Those Left Behind

 

depress5

https://www.facebook.com/VictimsOfCreation

http://www.cyclone-empire.com/

Alley – Amphibious

a1063381861_2Recebi há um certo tempo esse material do selo russo Solitude-Prod. e no press-release estava marcado como sendo uma banda de Gothic Metal e lá vai eu para a primeira ouvida ficou quase impossível não compará-los ao grandioso Opeth. Aí corri para a página da banda no Bandcamp e lá constava como Progressive Death Metal.

Colocando o play pra rolar, é um álbum com instrumental intrincado e pesado, com uma certa similaridade no timbre dos vocais limpo/gutural de Akerfeldt.

E aí vem a pergunta, seria digno dar uma nota boa para uma banda que tem como inspiração/influência e ter sua sonoridade muito parecida como os suecos do Opeth? E a resposta é, sim.

Tá certo que originalidade não é o forte desse material, mas não podemos negar que as composições não sejam boas.

Faixas como “Lighthouse”, “Weather Report” poderiam facilmente figurar num álbum como o grandioso Blackwater Park.

Já a música título tem uma pegada bem diferente e meio “bipolar”, pois tem um início com blastbeats e na passagem seguinte totalmente viajante, para novamente retornar a pancadaria e a viagem sucessivamente. A medida que a música avança, vai se tornando mais envolvente e bem cativante aos ouvidos.

“Skull & Bones” é a faixa mais curta do disco, a única com menos de 8 minutos e também uma música bem intrigante, com diversas mudanças de andamento e uma passagem com uma levada de baixo e uma guitarra sem distorção lembrando de longe um chorinho.

“Time Signal” e “Washed Away” voltam para aquela pegada Opeth de ser. Abusando das linhas melódicas, belos solos e algumas vocalizações que matariam de orgulho o grande Mikael Akerfeldt.

Um disco de uma audição fácil, ainda mais se você for fã do já citado Opeth e que cairá como uma luva para aqueles fãs que torceram o nariz para os últimos lançamentos deles, tenham certeza que esses russos do Alley, agradarão em cheio esses fãs órfãos.

 

Alley – Amphibious (BadMoodMan/Solitude-Prod.)

1. Lighthouse

2. Weather Report

3. Amphibious

4. Skulls & Bones

5. Time Signal

6. Washed Away

 

depress4

Contatos:

http://alley1.bandcamp.com/

http://solitude-prod.com/blog/lang/eng/2013/03/bmm-059-13-alley-amphibious/