Lowshake – Hopeless Desire

Banda espanhola de Stoner Metal que não se limita ao rótulo, fazendo música com muita qualidade e empolgação.

Após o mundo ter conhecido o Down/Kyuss, muitas bandas foram beber na fonte e muitos conseguiram ótimos resultados.

Não há como citar essa ou aquela faixa como sendo a melhor do disco, pois todo ele soa de forma uníssona.

Mas faixas como Bleed for You com certeza estará entre os destaques. O seu começo mais lento vai ganhando força a medida que a faixa avança. Podemos notar uma certa influência das bandas de Seattle que assolaram a terra na década de 90 e uma sonoridade similar a Soundgarden/Alice in Chains encontramos aqui.

The God I never Belivied In segue na mesma empolgação da faixa anterior. Os vocais são cativantes assim como todo o instrumental, vide as dobradinhas de guitarra, o baixo marcado e as quebradas de bateria.

Goodwill Promises é uma faixa mais lenta e depressiva, por assim dizer. Em seus 8 minutos podemos sentir o desprezo sendo emanado pelos falantes.

O trabalho de vocal é muito bem feito, pois há uma dobra de vocal que traz um clima extremamente triste. E antes que o ouvinte acabe pondo fim em sua vida, nos minutos finais a música tem seu “astral” elevado.

Attitude é uma faixa que começa no pique, já convidando o cidadão a abrir um mosh no meio da sala. Uma coisa que andei notando é a semelhança dos vocais de Cesar, que canta com a mesma intensidade que Keith Buckley canta em seu projeto The Damned Things.

E para encerrar o disco de uma forma mais intimista, The Goldfish Bowl Song.

Uma faixa mais sossegada e introspectiva do que as outras do disco, talvez prevendo o fim de tudo.

Fica a dica de uma ótima trilha sonora para colocar no carro e pegar uma estrada, mas não se empolgue com a velocidade, ok?

 

Lowshake – Hopeless Desire (Discos Macarras)

1. The Goldfish Funeral

2. Once Beaten

3. Bleed For You

4. The God I Never Believed In

5. Wrong Path

6. Goodwill Promises

7. Attitude

8. The Reason

9. My Last Song

10. The Goldfish Bowl Song

 

 

Contatos:

http://www.facebook.com/lowshake

www.discosmacarras.com

Spirit Descent – Seven Chapters In A Minor

Recebido há alguns meses atrás, esse disco do Spirit Descent me causou inicialmente uma impressão não tão positiva.

Devido ao acúmulo de promos recebido, esse disco acabou por ficar pra trás. Por esses dias andei vasculhando as músicas no iTunes e eis que me deparo com ele novamente.

A primeira impressão de outrora foi ficando mais aceitável, mas mesmo assim algumas coisas ainda me implicam que são alguns vícios desses vocalistas de Epic Doom Metal.

Alguns vibratos que os grandiosos Messiah Marcolin/Robert Lowe fazem com maestria, outros não conseguem com tanta desenvoltura o que acaba por deixar algumas passagens mais maçantes.

Mas analisando um disco como um todo, não há como não se impressionar com o instrumental preciso e pesado.

Destaques para Alternating Reality, que tem uma mudança de andamento bem interessante e empolgante, que acaba por manter o ouvinte atento as passagens, principalmente nos riffs mais empolgantes que nos fazem bater cabeça.

Sleeper também é uma boa faixa, apesar dos vocais do início soarem estranhos, as mudanças de timbre, ora mais falados, ora mais “guturais” fazem com que o ouvinte tenha a percepção de que está diante de um diálogo.

Lamentation of the Unborn tem um instrumental que beira o funeral doom e ao longo de seus quase 9 minutos, o ouvinte vai sofrendo junto a cada nota desferida pelas guitarras. Essa é a única faixa que o vocalista Jan Eichelbaum não canta e fica a cargo do guitarrista e principal compositor Andreas Libera.

Mas o que falar da faixa The Tragedy of Captain Scott? Excelente música e em seus 13 minutos um muro de lamentações é passado através dela.

Instrumental arrastado, passagens fúnebres tornam-na um épico do estilo.

E outra coisa a se lamentar, é que apesar da embalagem digipak, linda por sinal, um detalhe técnico que eles acabaram pecando que foi na escolha da fonte que é escrita as letras/infos do cd. Essa fonte seria ótima para se manter no título das músicas no encarte e uma ou outra coisa escrita, mas para descrever a letra fica um tanto embolado e difícil a leitura.

 

Spirit Descent – Seven Chapters In A Minor (PsycheDOOMelic Records)

1. Dawn Of Mankind

2. Owner Of The Fifty Names

3. The Tragedy Of Captain Scott

4. Alternating Reality

5. Sleeper

6. Love Turned To Stone

7. Lamentations Of The Unborn

 

 

Contatos:

http://www.facebook.com/spiritdescent

http://www.psychedoomelic.com/store2/index.html

Amber Tears – Revelation Of Renounced

Debut originalmente lançado em 2006 desse sexteto russo. Por mais que já tenham lançado um segundo material, para mim esse disco ainda era novidade até então.

Apesar do press-release vir nominado como Pagan/Doom e no Metal-Archives estar como Folk/Doom, posso dizer que o som deles lembra o Amorphis da fase Tales from the Thousand Lakes com uma ênfase maior nas atmosferas.

O encarte desse material é simples, porém bonito, mas é um tanto complicado acompanhar/cantar as letras em sua língua nativa.

Após uma pequena intro com uns pássaro cantando, fazendo todo clima com a capa, eis que Skvoz’ Osennij Dozhd’ inicia. Repleta de melodia e fraseados de guitarra, o que deixa o som deles bem característico. Os vocais variam entre o falado e o gutural de forma natural que em muitas vezes parecem que são dois vocalistas, mas tudo isso fica a cargo de Anton Bandurin.

Um destaque vai para Nad Poljami Vekov, que tem um clima sinistro, (vide o vocal nas primeiras estrofes) e depois embala num fraseado de guitarra, fazendo jus ao “rótulo” folk como se fosse um contraponto entre o vale dos mortos e o mundo terreno.

Zov Mechty segue na mesma linha da anterior, só que um pouco mais cadenciada.

Após uma pequena intro de teclado, Dorogoj Tenej começa como se estivesse convocando os mortos para a batalha final.

Sneg vem para selar o fim desses bravos guerreiros, que em sua batalha final foram descansar do outro lado. E apesar de seu andamento cadenciado, ela é carregada de melodia e após uma passagem atmosférica, deixando o ouvinte apreensivo e pensando o que virá a seguir.

Talvez a única coisa dispensável desse cd, após a faixa Otrechennoe Odinochestvo que na verdade é uma “outro”, temos uma pausa de uns 10 minutos e lá começa uma faixa escondida que é bem diferente do restante do cd, talvez por isso que ela está onde está.

 

 

Amber Tears – Revelation Of Renounced (BadMoodMan / Solitude Prod)

1. Intro

2. Skvoz Osennij Dozhd

3. Ostaviv Slezy

4. Nad Poljami Vekov

5. Zov Mechty

6. Dorogoj Tenej

7. Sneg

8. Otrechennoe Odinochestvo

 

 

Contatos:

http://www.myspace.com/ambertearsband

http://www.realmusic.ru/amber_tears/

Paradise Lost – 08/12/12 (Carioca Clube – SP)

Eram por volra de 19:30 quando os britânicos subiram ao palco do Carioca Clube, aos acordes de “Desolate” soando nos falantes, um a um os membros foram entrando em cena.

“Widow” abre o set para delírio dos presentes e apesar do som um pouco baixo a banda faz-se ouvir bem.

“Honesty in Death” foi uma faixa que quase trouxe a casa a baixo, com todos os presentes cantando o refrão. Um pequeno problema na batera que logo foi resolvido, eis que anunciam “Erased”, outra faixa que contou com a presença da galera. Nick Holmes estava bem comunicativo, parecendo gostar de estar ali e logo anuncia “Enchantment”.

 

Essa faixa é perfeita e a execução dela nesse show foi digna de nota 10. Tão logo começou o piano de seu início, os presentes ecoaram um “coral” que foi lindo de ver.

Cantada em uníssono pela galera, certamente foi um dos pontos altos da noite.

“Soul Courageous” e a nova “In This we Dwell”, cumpriram seu papel para logo ser anunciada a deprê “Praise Lamented Shade” e como anunciada por Nick Holmes, “muitas vezes as coisas parecem que dão em merda, mas fazer o que? é a vida!”.

Na sequência veio a dobradinha do álbum Shades of God, com “Pity the Sadness” e a já conhecida e obrigatória “As I Die”. Outra faixa anunciada e também cantada com todas as forças que ainda restavam nos presentes, “One Second” e na sequência a faixa que dá nome ao disco novo, “Tragic Idol”. E para terminar a primeira parte do set “The Enemy”.

Após algumas reações da galera chamando pela banda eles voltam com “Embers Fire”, mas pudemos notar que a galera estava um pouco cansada nessa hora, apesar de cantarem algumas partes, me pareceu um pouco deslocada para esse momento.

 

A seguir veio a nova “Fear of Impending Hell” outra faixa fodástica, mas que seguiu na mesma ideia da anterior e o povo parecia que estava guardando energia para o que viria a seguir.

O ponto baixo da noite, nos acordes finais da música, cai um dos canais e a guitarra de Gregor Mackintosh e os vocais de Nick Holmes quase não se consegue ouvir. Não se dando conta disso ele começa a apresentar a banda e quase ninguém havia se ligado disso, pois quando apresentou o baixista Steven Edmonsson e nenhuma alma viva aplaudiu o cidadão, situação que ficou um pouco chata. Após esse embaraço, foi voltando aos poucos o canal prejudicado e assim deram seqüência ao show com a faixa “Faith Divides Us – Death Unites Us”.

Essa faixa é difícil de descrevê-las mas foi como uma despedida anunciada e para que tudo não acabasse em lágrimas, “Say Just Words” vem para fechar essa noite memorável.

Paradise Lost traz clássicos ao show deste sábado em SP

Considerados um dos grupos mais respeitados no concorrido cenário do metal mundial, os ingleses Nick Holmes (vocal), Greg Mackintosh (guitarra), Aaron Aedy (guitarra), Steve Edmondson (baixo) e Adrian Erlandsson (bateria)trazem na bagagem a apresentação bombástica de divulgação do aclamado novo álbum “Tragic Idol”.

 

No repertório executado nas mais recentes exibições pela Europa, os músicos tocaram diversas composições consideradas clássicas.

Confira o set list regular desta excursão:
Widow
Honesty in Death
Erased
Enchantment
Soul Courageous
In This We Dwell
Praise Lamented Shade
Pity the Sadness
As I Die
One Second
Tragic Idol
The Enemy
Embers Fire
Fear of Impending Hell
Faith Divides Us – Death Unites Us
Say Just Words

 
Por meio de uma rápida mensagem publicada no Youtube, Nick Holmes convidou os fãs sulamericanos aos shows pelo Continente. Confira o video em http://www.youtube.com/watch?v=Lu52GcbKY1w.

 
A turnê do Paradise Lost pela América do Sul consiste nasseguintes datas:

Dec 08 – Carioca Club – São Paulo, Brasil
Dec 09 – Teatro Flores – Buenos Aires, Argentina
Dec 11 – Teatro La Cupula – Santiago, Chile
Dec 13 – Salon Las Vegas – Bogotá, Colômbia

 
Recentemente, eles lançaram videoclipe para “Fear of Impending Hell”, um das principais musicas do novo álbum. Assista o video em http://www.youtube.com/watch?v=0YANGB9KqYo. Além disso, a banda recentemente tocou no Bloodstock Open Air. Confira a performance na íntegra em http://www.youtube.com/watch?v=2PrfSJYsk3M.