Entrevista: Morito Ergo Sum

Recentemente realizei essa entrevista com o guitarrista e fundador da banda Morito Ergo Sum. Brasileiro radicado na Suécia, onde, junto com um amigo italiano montaram essa banda de doom. Dessa parceria lançaram seu segundo material e sobre ele que conversamos além de suas influências e outros assuntos.

 

 

1. E aí Paolo tudo tranquilo? Apesar da longa espera saiu a entrevista.

Paolo Cito: Olá Rodrigo! Tudo bem por aqui. Sim, finalmente temos a oportunidade de falar um pouco sobre a Morito Ergo Sum aqui no teu site! E o faço com grande satisfacão!

 

2. Moonchild foi lançado há um ano atrás, como tem sido o feedback dele?

Paolo Cito: O feedback tem sido muito bom. Nós recebemos basicamente somente resenhas positivas, e muita gente parece genuinamente ter gostado do que fizemos. Estamos pouco a pouco adquirindo novos fãs. Em um processo lento pois somos uma banda relativamente nova e desconhecida, e escolhemos trabalhar independentemente, mas isso também significa que a interação entre a banda e as pessoas que curtem o nosso trabalho fica muito mais pessoal.

 

3. Qual sua principal fonte de inspiração para suas composições?

Paolo Cito: Basicamente a tristeza. Apesar de eu me considerar uma pessoa alegre e positiva na maior parte do tempo, eu tenho uma grande atração pelo lado escuro da vida e das artes, e eu costumo dizer que eu vejo beleza na tristeza. E eu acho que é isso que o Doom Metal tenta mostrar. Então nós abordamos todos os tópicos que falam sobre isso: morte, dor, amor, decepção, etc…

 Eu também costumo compor as músicas para a Morito durante o inverno sueco, que é sempre muito silencioso, escuro e cinzento. Isso ajuda bastante a criar a atmosfera!

 

4. Depois de ter escutado Moonchild, resolvi correr atrás para conhecer a versão original. Gostaria de saber do porque da escolha dessa faixa?

Paolo Cito: King Crimson é uma das minhas bandas favoritas, e aquele álbum que contém a faixa Moonchild é o meu álbum favorito deles. Desde jovem eu sempre quis tocar um cover do King Crimson, mas nunca tive a banda certa para fazê-lo. Quando eu criei a Morito Ergo Sum, finalmente tive a liberdade e oportunidade de finalmente prestar minha homenagem a esta grande banda!

 

5. Após ter conhecido a versão original, pude notar que vocês deram um toque maior de melancolia.

Paolo Cito: Sim, a faixa em si já carrega uma grande carga de melancolia, então foi simples transformá-la em nossa própria versão. Quando eu comecei a trabalhar naquela versão, foi um daqueles momentos mágicos, quando tudo vem naturalmente e de uma vez só. Demorou menos de uma hora para compor o esqueleto da música! Depois foi só ir adicionando os detalhes com a ajuda dos outros membros da banda.

 

6. Visitei a fanpage de vocês e notei uma pequena, mas significante mudança em sua lineup. Como está a atual formação da Morito Ergo Sum?

Paolo Cito: Sim, nós recentemente adquirimos novos membros. O nosso guitarrista solo (Pablo Magallanes) teve que voltar para sua terra natal (Uruguay) por motivos familiares, e no lugar dele temos agora um novo guitarrista chamado Xavier Aguilar. 

E como nós não conseguimos achar um baterista para a banda, decidimos que o Walter deveria tomar conta apenas das baquetas. Nos vocais nós temos agora um jovem cantor que também é o violinista da banda, chamado Sebastian Rorengren.
Essa é a primeira vez que a Morito Ergo Sum tem uma formação completa, e nós já começamos a ensaiar para podermos em breve tocar ao vivo!

 

7. E já começaram os preparativos para um próximo material ou teremos que aguardar um pouco mais?

Paolo Cito: No momento nós estamos apenas ensaiando com os novos membros, ajustando todos os detalhes necessários para que possamos começar a fazer shows. Eu e o Walter temos algumas idéias escritas para um novo material, mas ainda não sentamos para trabalhar com elas. Vamos fazê-lo em breve certamente. Nosso plano é lançar um álbum num futuro próximo. Nos não gostamos de apressar as coisas, então vamos fazer tudo com calma para que as músicas saiam do jeito que nós gostamos. Mas é difícil dizer quanto tempo isso vai demorar…

 

8. Vocês estão envolvidos num outro projeto, o que você já pode nos adiantar disso?

Paolo Cito: Nada! Hahahaha! Tudo o que eu posso dizer é que nos tivemos a imensa sorte de despertar o interesse de algumas pessoas conhecidas no mundo do Metal. Não tenho permissão de adiantar mais nada além disso!

 

9. Qual o seu playlist atual? 

Paolo Cito: É bem diversificado, inclui Faith No More, Hanoi Rocks, The Gardnerz, Obituary, Foreigner, A Pale Horse Named Death e, evidentemente, o novo do My Dying Bride!

 

10. Gostaria que citasse quais os 5 álbuns essenciais do doom?
Paolo Cito:  

    • My Dying Bride, As the Flower Withers
    • Tiamat, Clouds
    • Paradise Lost, Shades of God
    • While Heaven Wept, Of Empires Forlorn
    • Anathema, Serenades

 

11. Agradeço pela entrevista e espero que em breve possamos nos falar novamente.

Paolo Cito: Eu é que agradeço Rodrigo! Obrigado pelo apoio que você vem dando não somente para a banda, mas também para a cena Doom Metal em geral! Com certeza iremos nos falar de novo!

 


Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s